Facebook Youtube Instagram
14 de Junho, 2018

Arquidiocese de Campinas comemora o jubileu de ouro do retorno do Pe. Kentenich para junto de Deus

O Santuário de Atibaia acolheu no último domingo (10) a XVII Romaria Arquidiocesana

Para as famílias que participam ou não da Campanha da Mãe Peregrina de Campinas e região, no domingo passado, dia 10 de junho, finalmente chegou o dia de nossa XVII Romaria Arquidiocesana ao Santuário da Mãe Três Vezes Admirável de Schoenstatt em Atibaia.

O dia amanheceu um pouco frio no Santuário, mas em minutos o calor foi chegando e junto os primeiros ônibus, com muitos romeiros, inúmeros deles pela primeira vez, iam adentrando ao espaço sagrado do Santuário e um responsável ia cadastrando cada um dos 75 ônibus, assim como dezenas de vans e carros particulares, e o número de romeiros e filhos da Mãe Rainha que ansiosamente vinham ao encontro da Mãe, nesse dia tão especial para os devotos que a recebem diariamente em seus lares em toda a região de Campinas.

Milhares de filhos foram recebidos, em torno de 4000 pessoas, que, emocionados, vivenciaram a caminhada em procissão da imagem auxiliar da Mãe Peregrina, protegida por quatro guardiões com vestimentas dignas de segurança de pessoas nobres e tinha seus motivos, afinal de contas, estavam levando a imagem que representava a Mãe de Jesus e nossa Mãe e Rainha, tendo à frente as bandeiras das cidades da região de Campinas e bandeiras do movimento de Schoenstatt.

Diante do Santuário teve um momento de louvor e meditação do jubileu de 50 anos de retorno à casa do Pai, do Pe. José Kentenich, fundador da Obra de Schoenstatt.

Seguindo à Tenda, os romeiros, sempre cantando hinos marianos, foram tomando conta de boa parte do espaço e participando da representação da encenação no ano de 1894 da entrega por parte de uma mãe, que passava por dificuldades familiares e econômicas, de seu filho, o “menino” José Kentenich aos cuidados do Orfanato São Vicente, em Oberhausen na Alemanha, para que a entidade cuidasse e o educasse, sem antes o consagrar à Nossa Senhora e ele com nove anos de idade acompanhou com muita consciência, ouvindo sua mãe lhe entregar a Nossa Senhora com a frase: “Educa tu, o meu filho. Sê para ele plenamente mãe!”, o que muitos dos romeiros não se contiveram e as lágrimas foram caindo nos rostos de centenas de pessoas. Encerrando a catequese na parte da manhã, tivemos a Exposição do Santíssimo Sacramento terminando com a bênção do Santíssimo.

Após o almoço, na Tenda novamente, milhares de romeiros meditaram juntos e muitos atentos a reza do Terço Mariano, onde foram meditados os mistérios gloriosos, com participação expressiva de jovens romeiros.

Encerrando com "chave de ouro" nosso dia mariano, tivemos a Santa Missa, muito participada pelos romeiros, que foi presidida pelo padre Luiz Carlos de Araújo, Pároco da Paróquia Santo Antônio de Sant´Anna Galvão (Campinas) e Vigário Forâneo da Forania Santa Teresinha, e concelebrada pelos padres Renato de Moura Petrocco, Pároco da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (Indaiatuba), e padre Carlos José Lemos Nascimento, Pároco da Paróquia São Sebastião (Vinhedo).

Resumindo nossa visita como romeiros e filhos da Mãe Rainha, vivenciamos o que pregou numa palestra o Pe. José Kentenich aos romeiros explicando sobre as graças de romaria e sobre o Santuário, capital de graças, etc.

O Santuário de Schoenstatt - Um lugar de peregrinação e graças

“Neste, como em todos os santuários, a Virgem Maria regala graças determinados. Sabe o que nos dá aqui? Se você já ouviu falar de outros lugares de peregrinação, eles vão saber que eles se tornaram ação extraordinariamente a fontes de ação de graças. Esta é também uma fonte de graça embora exteriormente não notar. Graças recebemos aqui primeiro para beneficiar a alma. Aqui reside a originalidade do nosso santuário”.

Um dia de graças especiais para todos os presentes, o que foi testemunhado em conversas junto aos romeiros, dentro dos ônibus, no retorno para a região de Campinas, assim como a repercussão nos comentários, via redes sociais, e, é unânime a vontade de voltar no próximo ano à casa da Mãe Rainha, como é carinhosamente conhecida.

Por: Cirino Pereira da Silva
Romaria da Arquidiocese de Campinas


comments powered by Disqus