Facebook Youtube
28 de Novembro, 2015

Advento!

Mais um Advento, mas esse será inesquecível!

Iniciamos mais uma vez o Advento, tempo litúrgico que nos convida à esperança e à preparação para a vinda do Senhor. Além de nos preparar para celebrar Jesus, que há mais de dois mil anos nasceu em Belém, como nosso Salvador, em cada Natal, queremos meditar e também nos preparar para a segunda vinda de Jesus no fim dos tempos. O Advento tem, portanto, um sentido escatológico e nos remete para além do histórico aniversário de Jesus.

Este tempo especial possui símbolos, talvez já bem conhecidos para nós:

 A cor violácea nos paramentos do sacerdote: significa espiritualidade, purificação e cura dos níveis físico, emocional e mental. Simboliza respeito, dignidade, devoção, piedade, sinceridade, espiritualidade, purificação e transformação. Representa o mistério e nos convida à meditação O Roxo no Advento ou violácea: não significa penitência, mas um recolhimento, uma purificação da vida pela justiça e pela verdade, preparando os caminhos do Senhor. Essa cor vem acompanhada do sentido de um recolhimento que alimenta esperança.

Coroa de Advento:

O Círculo: a coroa tem a forma de círculo, símbolo da eternidade, da unidade, do tempo que não tem início nem fim, de Cristo, Senhor do tempo e da história. O círculo indica o sol no seu ciclo anual, sua plenitude sem jamais se esgotar, gerando a vida. Para os cristãos este sol é símbolo de Cristo.

Desde a Antiguidade, a coroa é símbolo de vitória e do prêmio pela vitória. Lembremos a coroa de louros, a coroa de ramos de oliveira, com a qual são coroados os atletas vitoriosos nos jogos olímpicos.

Os ramos verdes: Os ramos verdes

Os ramos que enfeitam o círculo costumam ser de pinus ou de ciprestes, pois não perdem as folhas no inverno, símbolo de persistência e de imortalidade, de vitória sobre a morte. Sua cor é verde, cor da esperança e da vida, Deus quer que esperemos a Sua graça, o Seu perdão misericordioso e a glória da Vida Eterna no final de nossa vida. Bênçãos estas que nos foram derramadas por Nosso Senhor Jesus Cristo, em Sua primeira vinda entre nós, e que agora, com esperança renovada, aguardamos a Sua consumação, na Sua segunda e definitiva volta. O ramos dos pinheiros permanecem verdes apesar dos rigorosos invernos, assim como os cristãos devem manter a fé e a esperança apesar das tribulações da vida.

As velas: as quatro velas indicam as quatro semanas do Tempo do Advento, as quatro fases da História da Salvação preparando a vinda do Salvador, os quatro pontos cardeais, a Cruz de Cristo, o Sol da salvação, que ilumina o mundo envolto em trevas. O ato de acender gradativamente as velas significa a progressiva aproximação do Nascimento de Jesus, a progressiva vitória da luz sobre as trevas. Originariamente, a velas eram três de cor roxa e uma de cor rosa, as cores dos domingos do Advento.

O roxo, para indicar a penitência, a conversão a Deus e o rosa como sinal de alegria pelo próximo nascimento de Jesus, usada no 3º domingo do Advento, chamado de Domingo “Gaudete” (Alegrai-vos). Podem ser também quatro velas vermelhas ou de cores diferentes, simbolizando amor, alegria, esperança, conversão.

Existem diferentes tradições sobre os significados das velas. Uma bastante difundida:

  • a primeira vela é do profeta;
  • a segunda vela é de Belém;
  • a terceira vela é dos pastores;
  • a quarta vela é dos anjos.
  •  

Outra tradição vê nas quatro velas as grandes fases da História da Salvação até a chegada de Cristo. Assim:

  • a primeira é a vela do perdão concedido a Adão e Eva, que de mortais se tornarão seres viventes em Deus;
  • a segunda é a vela da fé dos patriarcas que creem na promessa da Terra Prometida;
  • a terceira é a vela da alegria de Davi pela sua descendência;
  • a quarta é a vela do ensinamento dos profetas que anunciam a justiça e a paz.

Nesta perspectiva podemos ver nas quatro velas as vindas ou visitas de Deus na história, preparando sua visita ou vinda definitiva no seu Filho Encarnado, nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo:

  • o tempo da criação: de Adão e Eva até Noé;
  • o tempo dos patriarcas;
  • o tempo dos reis;
  • o tempo dos profetas.

Como católicos já estamos acompanhando a grande iniciativa do Santo Padre, o Papa Francisco de proclamar um Ano Santo Extraordinário da Misericórdia que terá início, neste Advento, na festa da Imaculada Conceição de Nossa Senhora, 8 de dezembro.

Por isso esse Advento será inesquecível! É um momento da graças muito especial em nossa vida, um momento para aproveitarmos a indulgência plenária que nos será concedida em tantos lugares e especialmente aqui no Santuário de Atibaia e em mais 9 Santuários de Schoenstatt do Brasil, e também cultivarmos o perdão e a misericórdia para com nossos irmãos. Neste ano queremos crescer em nossa fé, em nossa vivência cristã, sendo misericordiosos como o Pai. Oportunidades e ocasiões não nos faltarão!

Façamos deste Advento uma vivência de fé tão profunda em nossa vida que seja inesquecível! A porta do coração misericordioso de Deus está aberta! Só depende de cada um de nós!

Por: Ir. M. Ana Paula


comments powered by Disqus