Facebook Youtube
23 de Janeiro, 2018

Em entrevista coletiva no voo, Papa comenta viagem ao Chile e Peru

No voo de retorno a Roma, Francisco falou aos jornalistas sobre momentos marcantes de sua 22ª viagem apostólica internacional

No voo de retorno a Roma nesta segunda-feira, 22, o Papa Francisco concedeu uma entrevista coletiva aos jornalistas que o acompanhavam. Ele ressaltou a fé da América Latina e comentou os fatos mais marcantes de sua viagem ao Chile e Peru.

Francisco foi, espontaneamente, ao encontro dos jornalistas e respondeu aos questionamentos sobre os fatos ocorridos em sua 22ª viagem apostólica internacional. Quando questionado sobre o que mais o comoveu, a resposta foi convicta: “A fé das pessoas! É inacreditável”.

O Papa destacou a presença de cerca de 1 milhão e 300 mil fiéis que o aguardavam em Lima, no Peru, e a Missa conclusiva de sua viagem, uma liturgia, segundo ele, marcada pelo entusiasmo e grande participação da multidão.

Ele ressaltou também sua experiência na penitenciária feminina do Chile. “O cárcere das mulheres me comoveu muito. Sou muito sensível aos cárceres e aos encarcerados, sempre me pergunto: ‘porque eles e não eu?’. Ver estas mulheres, a capacidade de mudar de vida, de reinserir-se na sociedade com a força do Evangelho”.

Sobre o casamento em pleno voo, Francisco disse: “Estavam preparados e me certifiquei disso. Pediram-me e os Sacramentos são para as pessoas. Todas as condições eram claras e, então, por que não fazer hoje aquilo que se pode fazer hoje”.

Ao ser questionado sobre o caso Karadima, o Papa explicou que a estima por dom Barros e, sobretudo, a falta de elementos convenceram-no a mais vezes rejeitar a renúncia do bispo. “Não posso condená-lo porque faltaram as evidências. Também eu estou convencido de que é inocente”, disse.



Fonte: Amex, com Rádio Vaticano


comments powered by Disqus