Facebook Youtube
21 de Março, 2018

Papa: aproximemo-nos da Eucaristia, receber Jesus nos transforma n'Ele

Dando continuidade às catequeses sobre a Santa Missa, Francisco falou sobre a Eucaristia

A Sagrada Eucaristia esteve no centro da catequese do Papa Francisco, na Audiência Geral desta quarta-feira, 21, que reuniu cerca de 15 mil fiéis na Praça São Pedro. Antes de iniciar a reflexão, ele saudou o público presente com uma mensagem alusiva ao início da primavera:

“A vida cristã deve ser uma vida que deve florescer nas obras de caridade, no fazer o bem. Se não tens Jesus na raiz, não florescerás. (...) A oração e os sacramentos regam as raízes e a nossa vida floresce. Faço votos de que esta primavera seja para vocês uma primavera florida, como será a Páscoa florida. Flores de boas obras, de virtudes, de fazer o bem aos outros”, disse o Papa.

Dando continuidade à série de catequeses sobre a Santa Missa, Francisco conduziu sua reflexão sobre a Comunhão inspirado no Evangelho de São João (6,54-55). “Celebramos a Eucaristia para nos nutrirmos de Cristo, que doa a si mesmo, (...) para conformar-nos a Ele”, apontou.

Ele recordou que o gesto de Jesus na Última Ceia continua hoje pelo ministério do sacerdote, diácono e ministros ordinários, pelos quais os fiéis recebem o pão da vida e o cálice da salvação, isto é, o Corpo e o Sangue de Cristo.

De acordo com Francisco, o convite feito pelo sacerdote aos fiéis, após partir o pão consagrado – ‘Felizes os convidados para a Ceia do Senhor: eis o Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo’ – chama a experimentar a íntima união com Cristo.

“Um convite que alegra e, ao mesmo tempo, impele a um exame de consciência iluminado pela fé. (...) Todos nós fomos perdoados no Batismo e todos nós somos e seremos perdoados cada vez que nos aproximarmos do Sacramento da Penitência. Não esqueçam, Jesus perdoa sempre. Jesus não se cansa de perdoar, somos nós que nos cansamos de pedir perdão”, refletiu.

O Santo Padre observou que Jesus vem ao encontro dos fiéis durante a Comunhão. “Há um encontro com Jesus. (...) Cada vez que nós comungamos, mais nos assemelhamos a Jesus, mais nos transformamos em Jesus”.

Nesse sentido, ele explicou que ao responder ‘Amém’ ao sacerdote quando diz ‘Corpo de Cristo’, se reconhece a graça e o empenho que comporta tornar-se Corpo de Cristo. “Quando tu recebes o Corpo de Cristo, tu te tornas Corpo de Cristo. É belo isto, é muito belo. (...) A Comunhão nos abre e une a todos que são um só n’Ele. Eis o prodígio da Comunhão: nos tornamos aquilo que recebemos”.

O Santo Padre também indicou a oração silenciosa “para custodiar no coração o dom recebido” após a Comunhão: “Prolongar um pouco aquele momento de silêncio, falando com Jesus no coração, nos ajuda tanto, como também cantar um Salmo ou um hino de louvor, que nos ajude a estar com o Senhor”.

A Oração após a Comunhão conclui a Liturgia Eucarística. “Nela, em nome de todos, o sacerdote dirige-se a Deus para agradecer a Ele por nos fazer seus convidados e pedir que o que foi recebido transforme a nossa vida”, explicou, por fim, Francisco.

“A Eucaristia nos torna fortes para dar frutos de boas obras para viver como cristãos. (...) Aproximemo-nos da Eucaristia: receber Jesus nos transforma n'Ele, nos faz mais fortes. É tão bom e tão grande o Senhor”, concluiu o Papa.



Fonte: Amex, com Rádio Vaticano


comments powered by Disqus