Facebook Youtube Instagram
20 de Março, 2019

Papa Francisco dá continuidade ao ciclo de catequeses sobre o Pai-Nosso

"Seja feita a vossa vontade" foi o tema da catequese do Pontífice na Audiência Geral de hoje (20)

“Seja feita a vossa vontade” foi o tema da catequese do Papa Francisco na Audiência Geral desta quarta-feira, 20. Prosseguindo a série sobre o “Pai-Nosso”, o Pontífice aprofundou a terceira invocação, depois do “Seja santificado o vosso nome” e “Venha a nós o vosso Reino”.

Deus bate à porta do nosso coração

A vontade de Deus foi encarnada em Jesus, explicou o Papa e essa vontade é buscar e salvar aquilo que está perdido. Na prece, nós pedimos que a oração de e que seu desenho de salvação se realize, primeiro em cada um de nós e, depois, em todo o mundo:

“Vocês já pensaram que Deus está me procurando, a cada um de nós, pessoalmente? Deus é grande, quanto amor está por trás disso”, disse Papa Francisco.

Deus bate à porta do nosso coração para nos atrair a Ele e nos levar avante no caminho da salvação. Deus está próximo a cada um de nós com o seu amor para nos levar pela mão até a salvação.

O amor de Deus nos liberta

Quando rezamos “Seja feita a vossa vontade”, não somos convidados a abaixar servilmente a cabeça, como se fossemos “escravos”. Deus nos quer livres e Seu amor nos liberta. O “Pai-Nosso”, de fato, é a oração dos filhos que conhecem o coração de seu pai e estão certos do seu desígnio de amor.

É uma oração repleta de confiança em Deus, que quer para nós o bem, a vida, a salvação. Uma oração corajosa, inclusive combativa, porque no mundo existem muitas realidades que não são segundo o plano de Deus. “Ele quer a paz”, afirmou.

Nada é aleatório na fé cristã

O “Pai-Nosso”, disse Francisco, é uma oração que acende em nós o mesmo amor de Jesus pela vontade do Pai. Uma chama que leva a transformar o mundo com o amor. “Não há nada de aleatório na fé dos cristãos: há, ao invés, uma salvação que espera manifestar-se na vida de cada homem e mulher e realizar-se na eternidade”.

Se rezamos, é porque acreditamos que Deus pode e quer transformar a realidade vencendo o mal com o bem. A esse Deus faz sentido obedecer e abandonar-se mesmo na hora da provação mais dura.

Deus, por amor, pode nos levar a caminhar por sendas difíceis, a experimentar feridas e espinhas dolorosas, mas jamais nos abandonará.

“Para um fiel, esta, mais do que uma esperança, é uma certeza. Deus está comigo!”, recordou Francisco.

O Papa encerrou a catequese convidando os fiéis a rezarem cada um na sua língua a oração do Pai-Nosso.



Fonte: Amex, com Vatican News