Facebook Youtube
01 de Janeiro, 2018

Solenidade da Santa Mãe de Deus

O primeiro pensamento do ano: Santa Maria, Mãe de Deus intercede-nos a paz!

O tempo de Deus chama-se agora, e aqui Ele age com seu eterno amor. Ao celebramos a solenidade da Santa Mãe de Deus e o Dia Mundial da Paz, recordemos o amor do Pai para com a nossa humanidade, tão vivamente apresentada a nós pela encarnação de seu filho Jesus.

Nesta solenidade da maternidade de Maria, celebramos Jesus, que quer dizer: “Deus salva”, e penetramos no profundo mistério de Cristo. Jesus é a perfeita bênção de Deus para nós. Por isso, que meditamos na Palavra a chamada bênção de Aarão, conforme a Primeira Leitura. Essa bênção, que é Jesus, é também o dom de nossa salvação e a paz para todos os homens e mulheres. É nele que somos salvos e libertos.

Maria, como Mãe de Jesus, por desígnio do Pai, continua a nos indicar o caminho para seu Filho, a nos apresentá-lo, como o apresentou aos pastores, pois sabe profundamente que Jesus é a oferta de salvação para todos os homens e mulheres. Ela é a Mãe de todos os que nascem e renascem para a vida divina.

 

A paz, a paz deve guiar o destinos dos povos.

Somos cristãos e amamos a Jesus, o filho de Deus nascido de Maria. Por isso, a paz é o objetivo de todos os que amam com sinceridade de coração. Amar o Cristo e assim estabelecer a paz entre nós. A paz é sacramento do reino. Como cristãos jamais poderemos deixar de realizar nossa parte em favor da paz. Ela é da terra e do céu.

Assim, a festa da maternidade de Maria nos conduz para dentro do projeto de Cristo, acolhido pelos pobres, os pastores, e eles que são acolhidos por Ele. A bem-aventurança da paz é dom messiânico, é salvação trazida pelo Cristo, é nossa reconciliação com o Cristo e paz com Deus e entre nós. Devemos sim, estar atentos à pratica da Justiça, da honestidade, da equidade e solidariedade,pois elas são o caminho que nos conduz a paz, paz entre as nações.

A violência não põe fim a guerra e a toda violência. Só por meio da paz gerada pela justiça se poderá construir a harmonia entre os povos e nações. O Papa Paulo VI em seu discurso na ONU, em 1965, terminou dizendo: “A paz, a paz deve guiar o destinos dos povos e da humanidade toda! Se quereis ser irmãos,deixais cair as armas de vossas mãos.Não se pode amar com armas ofensivas em punho.”

Celebrando a maternidade de Maria e o mistério da encarnação do Redentor do mundo, tomemos consciência de nossa missão de cristãos, realçando os valores do Evangelho que nos fazem, aqui e agora experimentar a verdadeira paz. Paz para você.

 

Por: Pe. Ferdinando Mancilio, C. Ss. R.


Fonte: Editora Deus Conosco


comments powered by Disqus