Facebook Youtube Instagram
12 de Janeiro, 2021

Adeus ano-velho, Feliz Homem Novo!

A cada remada de 2021, uma nova oferta para o Capital de Graças, na certeza de que Deus permanece conosco, e tem o leme nas mãos

A cada remada de 2021, uma nova oferta para o Capital de Graças, na certeza de que Deus permanece conosco, e tem o leme nas mãos

Uma imagem marcante do ano de 2020 foi do Papa Francisco, diante da praça de São Pedro vazia, no dia 27 de março, onde comparou nossa experiência da pandemia com a dos discípulos do evangelho (Mc 4), “surpreendidos por uma tempestade inesperada e furibunda. Demo-nos conta de estar no mesmo barco, frágeis e desorientados mas, ao mesmo tempo, importantes e necessários: todos chamados a remar juntos.” [1]

Isso de algum modo “desmascarou a nossa vulnerabilidade e deixou a descoberto falsas e supérfluas seguranças”. De fato, muitas delas foram agravadas nesse ano de Covid-19, com diversos sintomas de egoísmo e indiferença.

Por outro lado experimentamos significativas experiencias de solidariedade, corresponsabilidade e cuidado em diferentes níveis. Sem contar o despertar da criatividade e as tantas inovações no âmbito do trabalho, dos serviços e das relações em geral.

Certamente um ano muito especial que ficará em nossa memória. Grandes foram os desafios, maiores ainda serão as graças.

Por mais que experimentemos o tempo entre o cíclico e o linear (houve um começo e haverá um fim), cruzar as portas de 2021, mais que um trocar a página do calendário, poderá ser um passo adiante no sentido do Deus da história. Para Ele, mil anos são como um dia (2 Ped 3), e os verdadeiros progressos nos trazem um toque de eternidade.

Esse ano pode ter sido, acima de tudo, um chamado à conversão. “Tempo de reajustar a rota da vida rumo ao Senhor e aos demais”, dizia o papa Francisco. “O Senhor, no meio da nossa tempestade, convida-nos a despertar e ativar a solidariedade e a esperança”.[2]

Pe. Kentenich, nas tormentas do campo de concentração, rezava: Da-me, Pai, a conversão total… Contigo atravessarei noites e trevas porque Seu amor sempre vela por mim [3]

É assim que, depois de 2020, não se trata somente do limiar para um ano novo, mas o convite a avançar em vista de um Mundo Novo e de sermos Pessoas Novas. A expectativa, por várias vezes, foi a de sairmos desse ano mais humanos, mais solidários e que tantas dores e lutas não tenham sido em vão.

Em aliança, sabemos que o Tabor pode ajudar a transfigurar as realidades, muitas vezes marcada por situações que desfiguram os rostos. Queremos ser colaboradores nessa travessia.

Em 2021 vamos seguir remando juntos, livremente, também a partir de nossos santuários, grupos e lares. A cada remada uma nova oferta para o Capital de Graças, na certeza de que Deus permanece conosco, e tem o leme nas mãos [4]. Ali onde houver um coração que se consagra a Maria, que confia no Pai e se abre aos irmãos, ali acontecerá um novo Tabor para transfigurar nossa realidade.

Adeus ano velho, bem-vindo 2021, companheiro e amigo na busca de um Mundo Novo.

Nunca é tarde para recomeçar.

Adeus ano-velho, bem-vindo 2021, mar e caminho na rota do Homem Novo.

Que seja um ano de Fé, Conversão, Esperança e Solidariedade.

(Foto: Ir. M. Vilma Vassoler)

Pe. Vitor Possetti
Santuário Tabor da Nova Evangelização, Olinda/PE

Foto destaque: Julieide Simões

Referências:

[1] Papa Francisco, Ubi et Orbi, 27 Março 2020

[2] Papa Francisco, Ubi et Orbi, 27 Março 2020

[3] Pe. José Kentenich, Rumo ao Céu 399, 400

[4] Cf. Pe. José Kentenich, Rumo ao Céu 399

Por: Pe. Vitor Possetti


Fonte: Movimento Apostólico de Schoenstatt