Facebook Youtube Instagram
19 de Fevereiro, 2021

Campanha da Mãe Peregrina: Palestra com o Pe. Alexandre Awi Mello

Sacerdote fala sobre a importância da família no “Ano Amoris Laetitia”

O Secretariado está preparando um momento especial para os coordenadores e missionários da Campanha da Mãe Peregrina. No próximo dia 27 de fevereiro, o Pe. Alexandre Awi Mello, irá ministrar uma palestra exclusiva sobre o “Ano Amoris Laetitia”, proclamado pelo Papa Francisco, para ser um ano dedicado às famílias. A palestra faz parte do Encontro de Coordenadores e Equipes Diocesanas.

Nomeado pelo Papa como secretário do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida e Conselheiro da Pontifícia Comissão para a América Latina (CAL), Pe. Alexandre pertence ao Instituto Secular dos Padres de Schoenstatt e concedeu uma entrevista ao site da Campanha da Mãe Peregrina para falar sobre a sua participação.

Pe. Alexandre Awi e Papa Francisco- Arquivo pessoal

 

MP- Como a Campanha da Mãe Peregrina pode auxiliar o ano “Família Amoris Laetitia”?

O “Ano Amoris Laetitia” tem como objetivo celebrar os cinco anos dessa exortação apostólica. O Papa Francisco gostaria que toda a riqueza dessa exortação apostólica, que é fruto de dois sínodos sobre a família, fosse resgatada durante esse ano. Eu acho que a Campanha da Mãe Peregrina pode auxiliar de duas formas: A primeira de uma maneira teórica que é resgatando o conteúdo dessa exortação apostólica, ou seja nos materiais da Campanha, nos encontros mostrando a beleza do amor familiar como essa exortação apresenta. A segunda de forma prática, trabalhando com as famílias, como é especialidade da Campanha, valorizando a vida familiar.

MP- Em 2021, a Campanha da Mãe Peregrina vai trabalhar o tema: “Minha Família: terra maravilhosa”. Poderia comentar a importância da família como Igreja doméstica?

Me parece que de fato tem tudo a ver com a importância desse “Ano Amoris Laetitia” de fato, no ano da pandemia ficou muito claro como a Igreja doméstica é fundamental para as nossas vidas. Nós percebemos que em muitos lugares, as famílias que estavam desestruturadas, se desestruturaram ainda mais com a pandemia. Aumentou casos de violência familiar, os divórcios, uma série de consequências.

Já as famílias que tinham um bom relacionamento e que sabiam rezar juntos, aquelas que são realmente Igreja doméstica, onde Jesus está no centro como parte da relação dos esposos, certamente a pandemia pode ser vivida de forma mais tranquila, como uma oportunidade de crescer o vínculo familiar. Sem dúvida, a Campanha ter como tema a família como terra maravilhosa, num ano pós-pandemia, é uma forma de viver plenamente o ser Igreja doméstica, é valorizar a Igreja doméstica é uma grande contribuição para “Ano Amoris Laetitia”.

MP- Como a figura de João Pozzobon pode inspirar a vivência do Família Amoris Laetitia?

A Figura de João Pozzobon pode inspirar certamente a vivência do “Ano Amoris Laetitia” na medida em que Pozzobon é um exemplo encarnado de pai de família, de um esposo que soube sempre valorizar a família que procurou sempre colocar a família em primeiro lugar. Assim, como ele dizia que se ele poderia salvar o mundo inteiro, mas se perder a sua família não terá valido de nada, ou seja, alguém que soube colocar a família no centro de sua vida e com a Campanha da Mãe Peregrina, criou justamente um apostolado para fortalecer a família. É isso também que a exortação apostólica Amoris Laetitia fala, de famílias missionárias, abertas e isso foi o que o Pozzobon soube viver. Por isso, é uma pessoa que pode inspirar profundamente esse Ano dedicado a família.

MP- Como Campanha da Mãe Peregrina e Família de Schoenstatt, estamos vivenciando o Ano João Pozzobon. Em sua opinião, qual a importância do exemplo da vida e missão do Servo de Deus para a “Igreja em saída”, algo que é tão pedido pelo Papa Francisco?

A Igreja em saída que o Papa Francisco pede, em pleno estado de missão é nada mais, nada menos o que o João Pozzobon viveu durante toda a sua vida. Começando com a missão dentro da família, com a educação dos filhos, o trabalho, mas também o apostolado direto através da Campanha, visitando as famílias, as escolas, os presídios, rezando coma as pessoas e transmitindo o amor à Mãe de Deus. Tantas pessoas, em tantos lugares a tantas famílias. Essa é a Igreja em saída, uma Igreja doméstica em saída. E o Papa Francisco certamente espera isso das nossas famílias, especialmente das famílias da Campanha da Mãe Peregrina.

MP- O senhor é secretário do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida. Como compreende o trabalho de evangelização da Campanha da Mãe Peregrina com as famílias?

A Campanha da Mãe Peregrina é um grande apostolado que coloca em prática as áreas principais do nosso Dicastério para os leigos, a família e a vida. É uma Campanha que é promovida por leigos. Na verdade, a maioria dos missionários são leigos que vivem em seus bairros, suas casas e estão totalmente envolvidos nas atividades da sociedade. São trabalhadores, donas de casa, são pessoas que vivem o seu ser leigo a partir do seu batismo, e é nesse espírito que são missionários e justamente o fazem, como família e para fortalecer as famílias. E assim também, a vida vai sendo cultivada nos seios das famílias, no interior das famílias. Por isso, agradeço a Campanha da Mãe Peregrina por colocar em prática tantos valores que o nosso Dicastério para os leigos, as famílias, e a vida justamente promover.

Deixo também a mensagem de gratidão, em primeiro lugar pelo trabalho que os coordenadores, missionários e famílias que recebem a Mãe Peregrina fazem. Agradeço e motivo que neste Ano Amoris Laetitia e Ano João Pozzobon dentro da Campanha, vocês possam estar abertos a ação do Espírito Santo e confiar que a Mãe de Deus está implorando esse espírito para o bem das suas famílias, das famílias que recebem a visita da Mãe Peregrina, suas paróquias e de todas as pessoas que estão vinculadas a vocês, para que as nossas famílias sejam cada vez mais Igrejas domésticas. Vocês são os instrumentos de Deus e da Mãe de Deus nessa missão. Que Deus os abençoe!

Como participar da palestra?

Os coordenadores e missionários que desejam participar da palestra com o Pe. Alexandre, precisam entrar em contato com o Secretariado da Campanha da Mãe Peregrina para solicitar o acesso a transmissão.

Telefone: (11) 4414-4249

WhatsApp (11) 9 6861-9485

E-mail: recepcao@maeperegrina.org.br

Por: Juliana Dorigo


Fonte: Campanha da Mãe Peregrina