Facebook Youtube Instagram
02 de Maio, 2021

Eu ficarei em vós é tua promessa de amor!

“Permanecei em mim, é meu pedido Senhor ...”

Quinto Domingo da Páscoa do Senhor

É muito belo e profundo este Tempo Pascal. Rico na liturgia da Palavra e nos sinais do Ressuscitado e os meios que ele usou para demonstrar seu amor por nós. Rezando com os Atos dos Apóstolos, iluminados e fortalecidos pelo Espírito Santo, foram fiéis ao Evangelho diante das dificuldades de seu tempo que ilumina os nossos tempos atuais.

Neste Quinto Domingo da Páscoa, Jesus nos mostra que ele é a Videira do Pai, quem nele permanecer será feliz. Era muito comum as videiras na região onde Jesus vivia. O primeiro sinal de Cristo, foi transformar água em vinho, o evangelista diz que eram 600 litros. Na Última Ceia ao tomar em suas mãos e bendizer um cálice de vinho, Jesus disse que ali era o seu Sangue. Na poda das videiras os ramos secam e são jogados ao fogo para serem queimados. Se o ramo estiver ligado ao troco em breve surgirá brotos novos e fortes e já contendo muito fruto.

Jesus era um bom observador. Basta ver como ele se compara ao Pastor (que cuida e dá a vida pelas ovelhas), ele é a Porta/Porteira (onde as ovelhas entram e saem com segurança), ele é a Vida em abundância e neste domingo se compara ao pé de uva. Interessante é o uso do verbo permanecer. Repetido várias vezes. A insistência de Jesus de quem nele permanecer, passará por muitas dificuldades, provações, provocações, enfim..., mas, permanecendo nele sairá vencedor!

O segredo é permanecer em Jesus! Fora dele não nos sairemos bem. Ele mesmo já dissera: “Sem mim nada podeis fazer”. Sem a humildade em reconhecer que sem ele não podemos fazer nada, dificulta muita coisa; no âmbito pessoal e comunitário! Agir de maneira desvinculada, desinteressada ou com interesses imediatos. Por isso, quem nele permanecer não estará blindado, mas conseguira tirar das adversidades uma grande oportunidade para dar frutos e frutos muito bons.

Olhando para nossos Santuários de Schoenstatt podemos dizer que são “videiras de Deus” espalhados na grande messe. Nestas videiras está o fruto primeiro da redenção de Jesus: Maria, nossa Mãe Admirável.

Jesus a verdadeira Videira confiou ao Pe. José Kentenich, o qual em todas as situações de sua vida esteve sempre permanente unido a Cristo pelos laços de Maria. Os que estão podendo vir aos nossos Santuários de maneira presencial e mesmo os que nos acompanham pelas redes sociais, pela Aliança de Amor com Maria é o meio eficaz de nos manter permanentemente unidos a Cristo e não nos perderemos e nem nos abateremos!

Por: Pe. Francisco José Lemes Gonçalves